Agenda sua consulta (66) 98447-7156

Exames

Endoscopia nasal

O exame de endoscopia nasal tem como objetivo visualizar a cavidade nasal através de uma câmera. Para isso, utiliza-se uma ótica que pode ser rígida ou flexível. A imagem captada pode ser vista na televisão pelo médico examinador. O exame fornece informações sobre a anatomia da cavidade nasal e é de grande auxílio no diagnóstico de alterações como hiperplasia de adenoide ou conchas nasais, desvio do septo nasal, pólipos e tumores entre outras. Não demanda sedação, sendo utilizada apenas anestesia tópica em spray que é borrifada logo antes do início. Costuma ser rápido e não há limite mínimo ou máximo de idade para a sua realização.

Videolaringoscopia

O exame de endoscopia da laringe tem como objetivo visualizar a região da faringe e da laringe com câmera. Para isso, utiliza-se uma ótica que pode ser rígida ou flexível. A imagem captada pode ser vista na televisão pelo médico examinador. O exame fornece informações sobre a anatomia da faringe e laringe, auxiliando no diagnóstico de condições que causam dor de garganta, rouquidão, dificuldade de deglutição, falta de ar entre outras. Não demanda sedação, podendo ser utilizado anestésico tópico em spray.

Videolaringoestroboscopia

É uma variação do exame de videolaringoscopia, sendo este exame mais específico para avaliação de problemas relacionados à voz. A luz utilizada é estroboscópica com pulsos intermitentes que são captados e geram uma imagem que parece câmera lenta. Com isso os movimentos das pregas vocais são cuidadosamente avaliados, o que permite um diagnóstico mais acurado de alterações da voz.

PAAF – Punção Aspirativa por Agulha Fina (punção de tireóide)

A tireóide é uma pequena glândula que se localiza superficialmente na porção baixa do pescoço. Tem importante função na produção de hormônios que regulam o metabolismo do corpo. Algumas doenças da tireóide se apresentam como nódulos, entre elas o câncer de tireóide. Assim, necessita-se saber quais nódulos são suspeitos de câncer. Para isso utiliza-se inicialmente a ultrassonografia que irá determinar a quantidade de nódulos, tamanho, localização e algumas outras características que irão sugerir a possibilidade de determinado nódulo ser suspeito de câncer. Em existindo a suspeita, indica-se a punção aspirativa por agulha fina deste nódulo (PAAF).

A PAAF é realizada em consultório com o auxílio da ultrassonografia. O médico localiza o nódulo a ser puncionado, anestesia a pele do paciente e posteriormente insere uma agulha que irá coletar algumas células daquele nódulo. Lâminas são confeccionadas e encaminhadas ao laboratório para avaliação em microscópio. O resultado é dado a partir da classificação de Bethesda indicando a característica das células coletadas e a possibilidade de câncer de tireóide. A experiência e habilidade do examinador são muito importantes para o sucesso da coleta.

Retirada de corpo estranho

Corpo estranho é todo corpo, vivo ou não vivo, que se encontra inadvertidamente dentro do corpo humano. Em otorrinolaringologia os corpos estranhos mais frequentemente encontrados são os espinhos de peixe em garganta, insetos, grãos ou sementes em nariz ou ouvido. O procedimento de retirada de corpos estranhos pode ser realizado, na maioria das vezes, em consultório. Recomenda-se, para isso, material adequado e experiência de quem realiza o procedimento.

Sangramento nasal

Sangramento pelo nariz é uma condição muito frequente, pode acontecer em qualquer idade e assusta o paciente e também os acompanhantes. Em sua grande maioria os sangramentos são consequência da ruptura de pequenos vasos dentro da cavidade nasal. Inicialmente deve-se abaixar levemente a cabeça e obstruir o nariz por cinco minutos na tentativa de tentar cessar o sangramento. Posteriormente sugere-se uma visita ao otorrino para melhor avaliação das causas e determinação de um tratamento definitivo, geralmente cauterização ou tamponamento nasal.

A cauterização é realizada com o objetivo de impedir que pequenos vasos na parte da frente do nariz continuem sangrando. Neste procedimento utiliza-se anestesia tópica em spray seguida de colocação de um produto específico sobre o vaso sangrante. É um procedimento indolor e de rápida realização.

O tamponamento nasal é utilizado quando uma cauterização não foi efetiva ou quando o sangramento é de maior volume ou não localizado. O objetivo é colocar substâncias dentro do nariz que irão comprimir o vaso e evitar que continue sangrando. Pode ser feita com gazes, dedos de luva ou materiais próprios para tamponamento nasal. Utiliza-se anestesia tópica.

Compartilhe no WhatsApp